Nas margens do Rio Tarn, França

Millau e as suas famosas paredes

Após alguns meses passados sem dar notícias voltamos com a segunda parte das férias do ano passado quando ainda éramos dois e meio! Estes meses foram de verdadeiras aventuras que nos roubaram o tempo por completo, mas valeu bem a pena, porque o cume foi alcançado…

Já tínhamos ouvido histórias das aventuras do Lapa e do Topas por terras francesas, nas vertiginosas paredes das margens do rio Tarn. Venderam-nos a ideia de longas vias de escalada desportiva, um calcário de óptima qualidade aliado a paisagens únicas do tempo dos templários por onde o progresso não passou! A curiosidade estava aguçada e não podíamos esperar pela oportunidade de conhecer tais paredes tão afamadas.

Encontrávamo-nos na Catalunha e por isso a viagem não seria assim tão longa. E assim foi. Atravessamos a fronteira e seguimos em direcção ao centro de França. Ao avistarmos Millau apercebemo-nos de uma muralha natural de paredes traçadas por um rio que deixa qualquer escalador de olhos em bico de tanta rocha. Começávamos assim a apercebermo-nos do que nos esperava.

 

Millau e as suas famosas paredes

Millau e as suas famosas paredes

Percorremos os últimos 60km com alguma ansiedade, a paisagem tornava-se arrebatadora, esperávamos a qualquer momento avistar as primeiras vias e também tínhamos dúvidas da afluência a este local. Felizmente, contrariando os relatos, a aldeia Le Vignes encontrava-se praticamente deserta, rodeada por um silêncio único para quem precisa descansar e relaxar escalando!

Típicos albergues

Típicos albergues

 

Vista do grande vale que o rio Tarn traçou

Vista do grande vale que o rio Tarn traçou

Enganem-se aqueles que pensam que apenas os aventureiros da escalada e do cayaking desfrutam desta maravilha natural. As Gorges du Tarn, apenas pela sua beleza, merecem a visita de qualquer um. O canhão está coberto por uma vegetação luxuriante e é uma paisagem mágica a ser apreciada em especial na Primavera e no Outono, quando a natureza se encarrega de pintar a floresta com cores brilhantes que se reflectem nas águas cristalinas que percorrem o vale ventoso.

As cores das paisagens do Tarn

As cores das paisagens do Tarn

 

As paisagens que se avistam enquanto escalamos

As paisagens que se avistam enquanto escalamos

 

O número de visitantes, em particular de escaladores, aumenta de ano para ano, o que por si só é prova da qualidade desta escola, que, com mais de 500 vias de desportiva em paredes de calcário de alta qualidade, transforma este local num afamado local de escalada em França.

Gorges du Tarn

Gorges du Tarn

Esta escola fica situada no sul de França, perto de Millau, e ao longo da estrada que percorre este canhão é possível ir vendo as encostas pintalgadas por pequenas povoações e centenas de parques de campismo. A principal zona de escalada fica entre as povoações de Les Vignes e La Malène, e foi em Les Vignes que optamos por ficar.

Começada a trepada, rapidamente nos apercebemos que escalada seria extremamente atlética e de resistência, com uma grande oferta de vias longas, tudo acima dos 30m. Por isso, só havia motivos para aguçar o apetite, e a cada via que experimentávamos o sorriso ficava ainda mais esboçado na nossa cara. Vias longas para se desfrutar, apreciar e degustar quase como um bom vinho; pena de quem dá segurança. No fundo existem vias para todos os gostos mas as longas vias em paredes imensas deslumbram a vista de qualquer um e acabamos muitas das vezes por sermos meros pontos que se confundem com a paisagem. Na altura da nossa visita o clima não poderia ser mais perfeito, e é tão fácil encontrar uma parede a gosto, só temos procurar sectores ao sol ou á sombra ao longo de todo dia. Fica inteiramente à vontade do freguês.

Quem disse que uma grávida não pode escalar?!

Quem disse que uma grávida não pode escalar?!

 

 

Depois da escalada vem a rambóia!

Depois da escalada vem a rambóia!

 

Onde está o Wally?

Onde está o Wally?

 

Vias a perder de vista, tanto na vertical como horizontal.

Vias a perder de vista, tanto na vertical como horizontal.

 

Que bela via esta fissura!

Que bela via esta fissura!

 

Mais uma excelente via...

Mais uma excelente via…

 

Nos dias em que os músculos precisam mesmo de descansar e em que a pele dos dedos precisa de um tempinho para regenerar, há imensas coisas para fazer, desde caminhadas, visitas às localidades próximas que têm uma beleza bucólica maravilhosa, e claro as descidas do rio em canoa. Pode-se alugar material e guia num dos muitos locais publicitados e espalhados ao longo das margens.

Os 3 no Tarn!

Os 3 no Tarn!

 

 

onga se torna a espera (para quem dá segurança)

Longa se torna a espera (para quem dá segurança)

 

Rio Tarn...

Rio Tarn…

Mais uma vez não seria justo referir vias e neste caso em específico não podemos mesmo referir sectores, apenas aconselhamos a visitar este paraíso perdido fora da época alta de Verão. A partir daqui é só pensar na próxima visita.

"No Comments"

“No Comments”

Mais informação:
http://www.ot-gorgesdutarn.com/
http://gorgedutarn.free.fr/

2 Responses to Nas margens do Rio Tarn, França

  1. Inês Falcão

    Olá!
    Parabéns pelo vosso blog! Não me conhecem assim como eu não vos conheço mas já nos devemos ter cruzado sem saber (Redinha, Mirandela, Valongo, Gerês, Penacova, etc). Deparei-me com o vosso blog neste Verão imediatamente antes de embarcarmos na nossa muito pouco planeada viagem para o Vietnam. Foram dicas muito úteis as que encontramos no vosso site e sem dúvida que a experiência de cada um é sempre única… e diferente da dos outros. Mais curioso no vosso blog foi ver que existem pessoas com gostos tão parecidos com os nossos – escalada, montanha, viagens longínquas e culturas diferentes e ainda conjugar isso com uma vida familiar. Uau, tudo o que eu sempre quis e felizmente tenho conseguido fazer. E acreditem que não está na moda ter-se gostos assim. às vezes sinto-me uma ave rara por andar por aí “pendurada feita maluca” ou irmos para a montanha quando “está tanto frio”. E depois existem pessoas como vocês, que nos fazem o favor de partilhar experiências espetaculares! Há muito que eu e o meu marido queremos criar um blog com as nossas aventuras. Longe de imitações, pode ser que o vosso blog seja a alavanca. Talvez nos encontremos por aí. Continuem assim e desculpem o desabafo de uma estranha, Inês

    • Chinelo de Meter o Dedo

      Olá, Inês
      Ficamos muito felizes por a viagem ter corrido bem, por termos conseguido contribuir um bocadinho para ela, mas acima de tudo por vocês terem disfrutado dela. O blog serve para partilhar, expor, mas é perfeito quando conseguimos contribuir com qualquer coisinha. Estes comentários, todos os comentários, são incentivos para continuarmos, embora nem sempre seja fácil arranjar tempo.
      Será com o maior prazer que um dia nos cruzaremos com vocês. Se nos virem aí por uma qualquer falésia, venham ter connosco para darmos duas de letra e ouvir as vossas histórias. Ah! Assim que criarem o blog, dêem noticias. Vamos querer manter-nos a par dele.
      Quanto a te sentires maluca… Nós nunca nos sentimos malucos por andarmos por aí pendurados 😀 Sentimo-nos, sim, realizados por conseguirmos continuar a seguir os nossos sonhos e objectivos.
      Obrigada pelo comentário e esperamos encontrar-vos em breve.
      Beijinhos

Deixe uma resposta

UP WE GO